Já falamos anteriormente sobre as mortes que ocorrem durante as jornadas de trabalho, no Brasil. Os dados do Ministério do Trabalho e Emprego apontam, inclusive, a queda de altura como a principal causadora de mortes no país.

Infelizmente, estes dados parecem pequenos quando comparados às mortes que ocorrem em grandes construções ao redor do mundo.
Uma cidade com muitos prédios e construções é geralmente vista como um lugar moderno e evoluído. Quanto mais altos forem os prédios, mais cosmopolita a região. Em meio a incontáveis edificações, túneis, canais e pontes, acabamos nos acostumando com o cenário e nem nos perguntamos sobre as condições de trabalho das pessoas responsáveis por essas construções.

É triste, mas o plano de fundo de muitas coisas que consideramos modernas e eficientes é, na verdade, a exploração humana, que acontece também quando não há condições seguras de trabalho, muitas vezes em alturas incrivelmente grandes.
As construções para a Copa do Mundo no Qatar, por exemplo, utilizarão tecnologia de ponta, para que tudo seja realmente perfeito. O cuidado não se estende aos trabalhadores responsáveis pelas construções novas, no entanto: a estimativa é a de que 4 mil deles possam morrer durante o processo.

 

O site DAM Firm publicou uma relação assustadora que mostra o número de pessoas que morreram enquanto trabalhavam construíam pontes, prédios, canais, ferrovias e outros símbolos da vida moderna. Para deixar a lista ainda mais compreensível, a escala foi feita em relação a cada mil funcionários. Confira:

1. Canal do Panamá: a cada mil trabalhadores envolvidos, 408,12 morreram;
2. Ferrovia da Birmânia, conhecida com

71 - O número de mortes por trás de grandes construções

3. Túnel de Hawks Nest: 152,8;
4. Canal Mar Branco-Báltico: 95,24;
5. Ferrovia Transcontinental: 80;
6. Canal de Suez: 80;
7. Estrada do Caracórum: 54,17;
8. Ponte do Brooklyn: 50
9. Canal de Erie: 20
10. World Trade Center: 17,14;
11. Represa de Assuã: 16,67;
12. Aqueduto de Los Angeles: 10,75;
13. Represa Grand Coulee: 8,75;
14. Ponte da Baía de Sydney: 6,4;
15. Represa Hoover: 4,57;
16. Ponte São Francisco Oakland Bay: 3,37;
17. Torre Eiffel: 3,33;
18. Túnel de Base de São Gotardo: 3,2;
19. Copa do Mundo no Qatar: 2,86;
20. Titanic: 2,67;
21. Willis Tower: 2,5;
22. Taipei 101: 2.5;
23. Empire State Building: 1,47;
24. Ponte de Mackinac: 1,43;
25. Barragem de Fort Peck: 1,2;
26. Sistema de Encanamento de Transporte-Alaska: 1.17
27. Las Vegas: 0,75;
28. Chrysler Building: 0.

Os dados são, realmente, assustadores e mostram que ainda precisamos evoluir muito em tecnologias destinadas a salvar vidas e proteger o trabalhador. A solução é investir em treinamento, equipamento de proteção e planejamento de trabalho. Por isso, fique atento, evite acidentes e, em caso de dúvidas, procure orientação de um especialista.

TASK – Segurança em primeiro lugar!

Fontes:

• Safer America
• DAM Firm
• Tecmundo